(062) 3100-5632      contato@tumiespacoclinico.com.br    |   

Quais são as características do tumor cerebral?

Conhecendo o tumor cerebral

O cérebro é dividido em diversas regiões, cada uma delas com uma função distinta e definida - incluindo a medula espinhal, considerada uma extensão das funções cerebrais. Por isso, no caso de um câncer afligir o órgão, as características da doença vão depender da localidade do tumor, provocando sintomas e tratamentos diferentes entre si. Por exemplo, um câncer na área motora pode causar fraqueza em parte do corpo; já no lobo frontal, pode provocar mudanças de comportamento e alterações na visão e audição. 

Outra coisa importante: ao contrário do que acontece em outras regiões do corpo, no caso de um órgão tão fundamental como o cérebro, não importa muito a malignidade do tumor, pois mesmo os benignos podem causar danos gravíssimos. A principal preocupação, na verdade, é sobre a origem, que pode ser primária e surgir no próprio cérebro ou secundária e surgir da metástase de outros órgãos - sendo este segundo tipo o mais comum em adultos. 

Sintomas dos tumores cerebrais

Os sintomas podem ser específicos ou genéricos. Costumam aparecer gradativamente e piorar com o tempo, ainda que alguns casos sejam marcados pela forma repentina com que surgem. 

Os sintomas genéricos são influenciados pela pressão no interior do cérebro, causando dor de cabeça, náuseas, vômitos, visão embaçada, problemas de equilíbrio, alterações na personalidade ou comportamento; até letargia e coma.

Já os sintomas específicos estão relacionados com as funções da região afetada. Por exemplo, tumores na área que controla movimentos ou sensações os sinais aparecem como ataques epilépticos, convulsões, fraqueza e dormência em partes do corpo. Na região dos nervos cranianos, perda de audição, problemas de equilíbrio, fraqueza de músculos faciais ou dificuldade para engolir são os sintomas mais comuns.

Como é feito o diagnóstico?

O diagnóstico é feito com base no histórico clínico do paciente e na realização de exames físicos e neurológicos de imagem, que avaliam reflexos, força muscular, coordenação e agilidade. 

Entre os exames mais utilizados estão a ressonância magnética (RNM) e a tomografia computadorizada (TC), além da espectroscopia por ressonância magnética, da tomografia por emissão de pósitrons (PET), da angiografia e da punção lombar. Como normalmente os tumores em adultos são de origem secundária, recomenda-se, ainda, radiografia do tórax para fazer uma varredura nos pulmões e nas mamas.

A confirmação, no entanto, só pode ser por biópsia mesmo. Geralmente feita depois da remoção cirúrgica do tumor. Quando o câncer não pode ser removido cirurgicamente, então a biópsia é feita com uma pequena amostra de tecido.

Causas e Prevenção

Os fatores de risco incluem predisposição genética e deficiência no sistema imunológico, mas as causas de tumores cerebrais não são exatamente conhecidas. Por conta disso, as formas de prevenção também não são claras, sequer existem exames de rastreamento. As chances de cura ou sobrevida estão relacionadas à idade do paciente, ao tipo e à localização do tumor.

Como é feito o tratamento?

Como grande parte dos tumores cerebrais não têm cura, o tratamento visa prolongar a vida do paciente com o máximo de qualidade. Esse tipo de enfermidade é tratada prioritariamente com cirurgia - retirando a maior parte possível do tumor ou, em último caso, diminuindo a pressão exercida por ele, sempre preservando as funções do cérebro. Por vezes, a cirurgia é combinada com radioterapia, quimioterapia e terapia alvo.

Fonte: Medical Site

29 de Novembro de 2019

Agende sua consulta!
Leonardo Rocha Carneiro García Zapata - Doctoralia.com.br