(062) 3100-5632      contato@tumiespacoclinico.com.br    |   

Reconheça as dores de cabeça do seu filho

Os números da enxaqueca infantil

A enxaqueca é uma doença crônica e incapacitante que atinge 1 bilhão de pessoas no mundo, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). E afeta não apenas adultos, como 3% a 10% da população mundial infanto-juvenil - com o agravante de que crianças e adolescentes são 2,5 vezes mais propensos a apresentar dificuldades sócioemocionais, depressão e ansiedade. As consequências desse quadro são normalmente vistas no aprendizado e no desempenho escolar. 

A importância do diagnóstico precoce

Entre os pequenos, a enxaqueca surge por volta dos cinco anos de idade. E, a partir daí, aumentam as chances de desenvolver doenças associadas, como Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH). A boa notícia é que o diagnóstico precoce, feito ainda na infância, com tratamento adequado, pode aumentar as chances de cura. Ou, no mínimo, melhorar a qualidade de vida. Por isso, quando a criança manifesta os primeiros sintomas, os pais já devem ficar alertas. 

Os sintomas da enxaqueca infantil

De fato, não é fácil interpretar os sinais da enxaqueca infantil, especialmente porque muitas vezes não aparece da mesma forma que a adulta. Em adultos, as enxaquecas duram, em média, quatro horas ou mais. Geralmente também ocorrem em apenas um lado da cabeça. Já numa criança, a duração pode variar entre uma até 72 horas e as dores são frequentemente sentidas ao longo da testa e nas duas têmporas. Por isso, nenhuma ajuda médica é dispensável, até porque o tratamento de adultos e crianças/adolescentes não é o mesmo. Saiba quando seu filho deve ser examinado por um profissional:

- Dores de cabeça tão fortes e frequentes a ponto de fazê-lo interromper as atividades que ele gosta, como brincar, correr, pular;

- Náuseas e vômitos;

- Dores abdominais frequentes e repentinas;

- Sensibilidade à luz e a sons;

- Alterações visuais, como ver estrelinhas, campo visual escuro ou desfocado;

- Vertigem, dificuldade de fala, fraqueza e dormência no corpo.

As causas e prevenção da enxaqueca infantil

Embora as dores de cabeça e enxaquecas estejam entre as reclamações infantis mais comuns, o problema recebe pouca atenção porque ainda é popularmente visto como doença de adulto. Além disso, as crianças geralmente reclamam mais das dores durante o ano escolar que nas férias e os pais acabam interpretando como desculpa para escapar da escola. Acontece que as mudanças na agenda de sono, no consumo de água e até no clima podem desencadear enxaquecas nessa época do ano. Outras causas estão relacionadas à predisposição genética ou à alterações hormonais típicas da puberdade. 

Prevenir e controlar este mal também envolve mudanças no estilo de vida da criança, para além da utilização de medicamentos específicos. Fazer mais exercícios, consumir mais água, ter mais tempo de sono e não pular refeições estão entre as principais medidas. Fique alerta!

Fonte: Medical Site

21 de Novembro de 2019

Agende sua consulta!
Leonardo Rocha Carneiro García Zapata - Doctoralia.com.br