(062) 3100-5632      contato@tumiespacoclinico.com.br    |   

O que é isquemia cerebral?

A isquemia no cérebro é um tipo de Acidente Vascular Cerebral (AVC), o avc isquêmico. Portanto, é uma doença grave. Acontece quando há uma interrupção ou deficiência na circulação sanguínea, geralmente provocada por um espessamento ou rigidez dos vasos arteriais ou, ainda, pela presença de um coágulo na parede arterial. Por isso pessoas que sofrem com diabetes, aterosclerose, pressão alta e anemia falciforme estão mais predispostas à isquemia.  

Essa falha no fluxo sanguíneo do cérebro também afeta a oxigenação do órgão e pode originar um quadro de hipóxia cerebral, levando à graves sequelas ou até à morte caso os primeiros sintomas não sejam identificados e tratados o mais rápido possível. Para um diagnóstico preciso, os médicos devem solicitar exames de imagem, como ressonância magnética e tomografia computadorizada.

Sintomas 

Os sintomas surgem de repente, de maneira instantânea, mesmo durante o sono. O indivíduo sente dificuldade de coordenação nos membros superiores e inferiores, uma súbita perda na capacidade de fala e visão, inconsciência e até paralisia em um dos lados do corpo. Outros sintomas mais corriqueiros se manifestam como dor de cabeça, tontura, sonolência, formigamento e náuseas. 

A duração desses efeitos depende da região cerebral afetada e da capacidade de recuperação, ou seja, quanto mais rápido a isquemia for tratada, maior a chance de não ter sequelas ou dano cerebral permanente. Pode acontecer de ser uma isquemia cerebral transitória, na qual os sintomas são passageiros e duram menos de 24 horas, mas que também exigem tratamento porque podem ser um sinal de isquemia mais grave.

Tratamento e Prevenção

O tratamento é baseado na utilização de remédios que dissolvem o coágulo ou diminuem a obstrução. Mas como os sintomas são repentinos, caracteriza-se uma emergência hospitalar. Portanto os remédios devem ser ingeridos nas primeiras três horas. Depois disso, as chances de melhora reduzem drasticamente. Nesse contexto a cirurgia também pode ser cogitada. 

A prevenção, no entanto, ainda é o melhor remédio. Controlando a pressão arterial, o peso (com redução de sal e gordura), o diabetes e o colesterol no sangue, além de praticar atividades físicas regularmente, evitando o consumo exagerado de álcool e cigarro é possível levar uma vida com qualidade e menos riscos de uma isquemia cerebral.

Fonte: Medical Site

10 de Outubro de 2019

Agende sua consulta!
Leonardo Rocha Carneiro García Zapata - Doctoralia.com.br