(062) 3100-5632      contato@tumiespacoclinico.com.br    |   

O que você precisa saber sobre fraturas no crânio?

A fratura no crânio se caracteriza por uma quebra na caixa óssea que protege e guarda o cérebro. Pode acontecer com ou sem danos ao órgão e resultar de lesões abertas (que rasgam a pele) ou fechadas. Quando há danos ao cérebro, então chamamos de o traumatismo craniano.

Classificação

A gravidade de uma fratura craniana depende de ter causado dano cerebral, do tipo e da localização da lesão. É possível acontecer uma fratura sem trauma e, portanto, sem dano cerebral. Geralmente quando os ossos do crânio estão fraturados, mas permanecem no lugar e aí o cérebro não é afetado. Mas há dois tipos de fraturas que podem causar prejuízo ao órgão. 

1) Fratura de afundamento: como o próprio nome sugere, a pressão exercida para dentro pode expor o cérebro a ambientes e materiais estranhos, causando infecções ou abscessos (acúmulos de pus).

2) Fraturas na base do crânio:  essa região incorpora o redor dos olhos, nariz, ouvidos e topo do pescoço. A lesão atinge os tecidos que revestem o cérebro e como é bastante espessa, tem alto impacto. 

Sintomas

Quando a fratura danifica o cérebro, a pessoa pode apresentar sintomas como sonolência e confusão; convulsões; náuseas e vômitos; forte enxaqueca; perda da sensibilidade motora e do equilíbrio corporal; dificuldade cognitivas como memória, fala ou visão etc.

Diagnóstico

Depois de sofrer uma lesão no crânio, o procedimento de rotina é verificar se houve fratura ou não. O médico chega a um diagnóstico baseado nas circunstâncias, nos sintomas e nos resultados dos exames físico e de imagem, como a tomografia computadorizada. O próximo passo é verificar se houve dano cerebral por meio de uma ressonância magnética ou radiografias do crânio. Mas mesmo quando não há dano cerebral, algumas fraturas podem lesionar as artérias e as veias, que acabam sangrando entre o cérebro e o crânio, causando um hematoma intracraniano.

Tratamento

Muitas das fraturas de crânio não trazem lesões cerebrais e, portanto, não requerem tratamento específico. Recomenda-se apenas observação no hospital e anticonvulsivantes, em caso de convulsões. Os tratamentos são necessários somente quando há afundamento de crânio e/ou lesão na base do crânio, veja:

- Trauma de afundamento: como a ossatura deprimida do crânio aumenta o risco de complicações como infecção e formação de abscessos, os médicos realizam uma cirurgia para remover materiais estranhos e/ou colocar fragmentos do crânio de volta ao lugar, prevenindo esses problemas.

- Trauma na base do crânio: é necessário repouso absoluto e elevação da cabeça até o líquido cefalorraquidiano parar de vazar. Se continuar vazando, drena-se o líquido pela região inferior da coluna. Caso o problema persista, o vazamento é fechado cirurgicamente. Ao mesmo tempo, recomenda-se não assoar o nariz, pois, não raro essa estrutura também está fraturada.

Qualquer que seja a situação, fratura craniana é considerada uma situação de emergência que deve ser tratada e avaliada o mais rápido possível sem, no entanto, movimentar a pessoa, já que isso pode causar lesões na coluna vertebral.

Fonte: Medical Site

12 de Setembro de 2019

Agende sua consulta!
Leonardo Rocha Carneiro García Zapata - Doctoralia.com.br