(062) 3100-5632      contato@tumiespacoclinico.com.br    |   

O que é a hidrocefalia?

Conceito

Como o próprio termo sugere, hidrocefalia (hidro = água + céfalo = cabeça) é uma condição altamente limitante caracterizada pelo excesso de líquido cefalorraquidiano (LCR) que dilata as cavidades cerebrais. Essa dilatação comprime e danifica as estruturas encefálicas.

O líquido cefalorraquidiano, também conhecido por líquor ou fluido cerebroespinhal, é uma solução estéril que protege os centros nervosos, transporta nutrientes para o cérebro, remove resíduos metabólicos e mantém a pressão intracraniana em níveis ideais.

Causas

A hidrocefalia acontece por desequilíbrios na produção do líquor ou por obstruções que impedem a livre circulação e drenagem desse líquido. A partir daí, nem sempre é possível determinar a causa exata do distúrbio - mas se sabe que pode ser uma condição congênita, como malformação da medula espinhal ou adquirida, como acidente vascular cerebral (AVC), tumores e traumas cranianos, etc.

Sintomas

Os sintomas variam de acordo com a faixa etária. Nos adultos, os primeiros sintomas são definidos como deficiência progressiva da memória; instabilidade motora e incontinência urinária. São manifestações importantes, que devem servir de alerta para consultar o médico. Diferente da hidrocefalia infantil, em que a cabeça se expande por falta de consolidação óssea - sendo este o principal sintoma. Além de olhos cabisbaixos; irritabilidade; sonolência; atraso no desenvolvimento psicomotor.

Diagnóstico

O diagnóstico de hidrocefalia não é fácil porque frequentemente os sintomas são confundidos com os de outras enfermidades, mas normalmente é realizado pelo histórico clínico e por exames de imagem (ultrassom, tomografia computadorizada e ressonância magnética) que revelam ventrículos inchados.

É muito importante que o diagnóstico seja precoce para amenizar os danos cerebrais e para diminuir a ocorrência da hidrocefalia que, no Brasil, já conta com 11 mil novos casos em adultos por ano - atingindo igualmente homens e mulheres, especialmente depois dos 65 anos.

A grande maioria das ocorrências de hidrocefalia em adultos idosos é chamada Hidrocefalia de Pressão Normal Idiopática (HPNI), na qual os ventrículos até dilatam e aumentam de tamanho, mas a pressão do líquor continua normal. Neste caso, o diagnóstico é feito com testes terapêuticos, nos quais o tratamento é aplicado para testar as respostas. Se o paciente mostrar melhora nas funções comprometidas, então a HPNI fica caracterizada.

Tratamento

Quando possível, o tratamento da hidrocefalia foca na causa. Em casos leves e de progressão lenta, pode ser medicamentoso apesar dos efeitos colaterais adversos. Na maior parte dos quadros, porém, o tratamento é cirúrgico.

A cirurgia de derivação ventriculoperitoneal (DVP) é a opção mais indicada e menos invasiva de tratamento da hidrocefalia, tanto pela eficácia quanto pela segurança - ambas superiores a 80%. Consiste na implantação de um cateter no ventrículo cerebral, cujo objetivo é drenar o excesso de líquor e aliviar a pressão intracraniana. Depois do procedimento os sintomas desaparecem, sendo baixíssimos os índices de recidiva.

O tratamento da hidrocefalia permite que o paciente resgate sua qualidade de vida.

Fonte: Medical Site

19 de Dezembro de 2019

Agende sua consulta!
Leonardo Rocha Carneiro García Zapata - Doctoralia.com.br